MacBook esquenta muito? Confira seis dicas para evitar problemas no computador

Compartilhe

Se um MacBook esquenta muito, é importante ficar atento. O computador da Apple não é barato, e pequenos descuidos como falta de manutenção interna, uso em local inapropriado ou até mesmo uma versão desatualizada do macOS podem levar a problemas sérios. Isso visto que as altas temperaturas podem impactar no funcionamento dos componentes, e levar até mesmo à combustão. Pensando nisso, o preparamos uma lista com seis dicas de como evitar que seu MacBook, MacBook Air ou MacBook Pro esquente muito e tenha o desempenho prejudicado.

Vale lembrar que, recentemente, unidades do MacBook Pro de 15 polegadas vendidas entre setembro de 2015 e fevereiro de 2017 passaram por um recall por conta dos riscos envolvendo o superaquecimento da bateria. Com isso, muitos usuários foram impedidos de embarcar em aeroportos do Brasil e dos Estados Unidos.

Confira também:
Como limpar o notebook? Cinco dicas para fazer da forma certa
Quatro upgrades para melhorar o desempenho do notebook

1. Use em local adequado

Uma das dicas que pode ajudar em caso de superaquecimento é mudar o local onde você utiliza o dispositivo com maior frequência. Procure colocar seu MacBook em uma superfície plana e sólida, como uma mesa ou escrivaninha. Dessa forma, a ventilação do laptop não é prejudicada, e o sistema de refrigeração do aparelho vai funcionar da forma correta.

Usar o aparelho em cima de almofadas, cobertores ou no próprio colo pode reduzir a capacidade dos coolers, armazenando o calor interno e permitindo a entrada de poeira. Segundo recomendações da Apple, também é importante evitar o uso do dispositivo sob a luz do sol, já que alguns componentes podem sofrer danos com o excesso de calor.

2. Google Chrome? Melhor evitar

macbook-esquenta-img1

Outro fator que pode fazer seu MacBook esquentar é o uso excessivo do Google Chrome. O navegador mais famoso da rede foi estruturado para armazenar cada plugin, extensão e aba em processos separados no sistema operacional do usuário. A ideia dos desenvolvedores era evitar que o Chrome precisasse ser inteiramente reiniciado em caso de problemas.

A praticidade, porém, tem um preço: múltiplos processos e abas rodando ao mesmo tempo consomem uma boa quantidade de memória RAM do computador. Consequentemente, o trabalho do sistema de refrigeração do dispositivo pode aumentar significativamente se somado a um ambiente sem ventilação necessária. Uma dica, se possível, é utilizar o próprio navegador da Apple, o Safari, ou outra opção, como Opera ou Firefox.

3. Confira a temperatura

macbook-esquenta-img2

Aliado a boas práticas de uso, o monitoramento frequente da temperatura interna de seu MacBook é importante para realizar o diagnóstico. O método mais óbvio de sentir a temperatura do notebook é pelo toque e pela audição. Se sentir que o notebook está muito quente e silencioso, possivelmente as ventoinhas internas não estão funcionando corretamente. O ideal é que, com o aumento de temperatura, o som emitido pelo dispositivo fique mais alto. Isso significa que a refrigeração está funcionando corretamente.

Além disso, é possível acompanhar a mudança de temperatura por meio de aplicativos específicos e no próprio sistema operacional da Apple. De um modo geral, 90 graus Celsius é um número considerado aceitável para o funcionamento de um dispositivo. Acima disso, é melhor se preocupar.

4. Limpe o sistema com frequência

img3

Outra dica super interessante é limpar frequentemente o computador, tanto em relação a arquivos que não são usados quanto às peças internas. Um notebook com armazenamento cheio pode causar sobrecarga no sistema operacional e aumentar a temperatura interna. Além disso, arquivos com erro e extensões sem uso podem ocupar bastante espaço no HD ou SSD. Para isso, existem alguns aplicativos que podem corrigir esses problemas, como o CCleaner, por exemplo.

Além do software, é importante limpar o hardware. Com o passar do tempo, os notebooks tendem a acumular poeira, dificultando a passagem de ar e superaquecendo componentes internos. Se possível, abra seu MacBook e limpe-o com ar comprimido ou com um tipo de pano que não solte fiapos. O uso de água e de produtos de limpeza não deve ser feito, já que pode danificar seu dispositivo. Vale lembrar que, caso o usuário não tenha experiência no assunto, é melhor recorrer ao trabalho de um profissional da área para evitar problemas no computador.

5. Mantenha o sistema operacional atualizado

Manter um sistema operacional atualizado é sempre importante. Sabendo disso, a Apple está sempre oferecendo diversas atualizações que prometem corrigir alguns erros e apresentar aprimoramentos em segurança, assim como no desempenho. Quando possível, atualize o macOS para evitar que possíveis bugs comprometam seu MacBook.

6. Cheque o funcionamento das ventoinhas

A última dica é verificar se as ventoinhas estão funcionando corretamente. Esse peça interna dos notebooks é a responsável por refrigerar o processador de seu dispositivo e, caso esteja com problemas, pode ser o motivo do superaquecimento. Por sorte, a Apple disponibiliza dentro de seu sistema operacional uma ferramenta que permite testar e fazer um diagnóstico do hardware, o “Apple Diagnostics”.
Outra opção bastante viável é comprar um cooler externo para seu dispositivo. Os coolers são componentes do notebooks que ajudam a combater o calor excessivo na máquina, garantindo melhor aproveitamento e aumentando sua vida útil. Então, se o seu MacBook está esquentando muito, ou se quiser evitar que isso aconteça, investir em um componente extra para aumentar a refrigeração do seu dispositivo pode ser uma boa solução.

Compartilhe

Posts recentes

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.